segunda-feira, janeiro 28, 2013

Agora imaginem...


"Se um frango industrial demora entre 35 a 40 dias desde que deixa o ovo até ser abatido, no caso de um frango do campo esse processo leva cerca de 90 dias."
O que diria um académico, ou um político, ou um economista, ou um paineleiro da tríade, sobre a produtividade de quem produz frango do campo?
.
- São loucos!!!??? Que produtividade tão baixa! Não têm hipóteses de competir com o frango industrial!!!
.
Como medem a produtividade?
Estão a ver o erro?
Não faz sentido estar a medir a produtividade desta forma, estamos a falar de coisas diferentes.
.
Agora, imaginemos que os alemães produziam frango do campo e os europeus do sul produziam frango industrial...
.
Agora imaginem os governos do sul da Europa lançados numa campanha para reduzir salários e aumentar as horas de trabalho, para aumentar a produtividade da produção de frango industrial e reduzir os custos... será que isso vai tornar o frango industrial mais atractivo para quem consome frango do campo?
.
Agora imaginem os sindicatos dos países da Europa do sul a defenderem a produção de frango industrial porque emprega mais trabalhadores e a exigirem apoios do governo para manter a operar as granjas de frango industrial... será que isso vai tornar o frango industrial mais atractivo para quem consome frango do campo?
.
Agora imaginem os partidos da oposição e Hollande a defenderem que os salários alemães têm de ser aumentados em muitos euros para que consumam mais frango industrial... será que isso vai tornar o frango industrial mais atractivo para quem consome frango do campo?
.
Agora imaginem a associação empresarial do sector a defender uma TSU especial para exportadores de frango industrial... será que isso vai tornar o frango industrial mais atractivo para quem consome frango do campo?
.
Agora imaginem Fátima Campos Ferreira a dedicar um Prós e Contras ao paradigma do frango industrial com a habitual brigada do reumático do status-quo... será que isso vai tornar o frango industrial mais atractivo para quem consome frango do campo? Há-de aparecer a seita dos "A culpa é dos alemães que não consomem frango industrial!"
.
Agora imaginem Medina Carreira a fazer um programa, com Judite de Sousa e um empresário produtor de frango industrial, dedicado às vantagens do proteccionismo contra os chineses... Oh, wait... o frango do campo tem um preço mais de duas vezes superior ao do frango industrial...
.
Agora imaginem um bispo da igreja católica a falar para uma rádio e a defender que os cristãos não devem comer frango do campo...
.
Agora imaginem Jorge Miranda a falar para a TSF e a defender que a produção de frango do campo é inconstitucional...
.
Agora imaginem um empresário português anónimo que decide provar frango do campo, que decide ir às lojas onde se vende frango do campo para ver como é exposto e quem o compra, que decide conversar e tentar perceber a motivação de quem compra frango do campo e que decide começar a produzir frango do campo em Portugal... vai ter toda aquela constelação de gente, que continua à espera do queijo a que sempre teve direito, contra... grande manifestação em Lisboa no próximo fim de semana.
.
Trecho inicial retirado de "Cem mil frangos do campo saem por semana de Oliveira de Frades para a mesa dos portugueses"

4 comentários:

Anónimo disse...

E nesse exemplo pode ir-se mais longe. Em Londres já vi frangos franceses à venda por quase 40€ a unidade (~2kg). Imaginem a minha cara de espanto.
http://www.pouletbresse.com/
http://en.wikipedia.org/wiki/Bresse_(chicken)
http://www.independent.co.uk/life-style/food-and-drink/features/home-to-roast-are-designer-chickens-worth-the-money-2246423.html

Anónimo disse...

Ou um presunto Joselito Gran Reserva de Espanha. 36 meses de cura. Depois vendido a 500/600€ a perna.

CCz disse...

Excelentes exemplos!!!

Alguns artigos sobre a Feira de Enchidos de Montalegre apontavam para valores médios em torno de 40€/kg... achei um pouco exagerado, mas como se trata da imprensa portuguesa, sempre avessa a contas, podem-se ter enganado.

CCz disse...

http://sol.sapo.pt/inicio/Economia/Interior.aspx?content_id=68638&utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter

Proteccionismo?
Com a Europa transformada num asilo, convém é aproveitar mercados mais dinâmicos