segunda-feira, abril 17, 2006

Qual será a actual proposta de valor do Millennium BCP?

Tornei-me cliente da Nova Rede em 1993 por causa de um empréstimo para aquisição de habitação própria.

Habituado, até então, a ser tratado como um utente e não como um cliente, descobri com surpresa, um pequeno banco que conhecia os clientes pelo nome, em que se era tratado com cortesia e, tratando-se de um pequeno banco, entráva-se e saía-se da agência com os assuntos tratados rapidamente.

Este mês, na localidade onde vivo, o Millennium BCP concretizou a operação de fusão com o BPA. Finalmente, ao fim de vários anos, o Millennium BCP fechou o antigo balcão da Nova Rede e concentrou tudo num único balcão, o do antigo BPA.

Presumo que ao longo destes anos, a maioria dos antigos clientes do BPA se tenham mantido fieis ao antigo balcão do BPA, assim como, a maioria dos antigos clientes da Nova Rede se tenham mantido fieis ao antigo espaço Nova Rede. Depois da fusão física dos balcões num único espaço já tive de ir três vezes ao interior do banco... hoje, por exemplo, entrei e vi algo que já não estava habituado a ver num banco privado... uma fila única com 12/13 pessoas à espera de serem atendidas. Dirigi-me à caixa automática de serviços bancários para depositar um cheque e... estava desligada!!! Pela segunda vez, em duas semanas consecutivas, tive de mudar para a caixa multibanco, para efectuar o depósito de cheques. Na verdade, na semana passada a opção de depósito de cheques não se encontrava activada.

Saí, fui tratar de outros assuntos, e cerca de 30 minutos depois voltei a passar pela agência, espreitei por curiosidade e... a fila parecia ter crescido!!!

Qual será a actual proposta de valor do Millennium BCP?

Por mim, prefiro voltar a trabalhar com um banco pequeno...

2 comentários:

Manuel dos Santos disse...

Será que a "proposta de valor" do actual BCP millenium é tão diferente da inicial ?
Qual era a proposta de valor inicial ?
Ou será que a concentração, conjuntamente com o aumento de clientes e a necessidade de rentabilização dos recursos,designadamente humanos, provoca um desajustamento entre o nº de funcionários e o nº de clientes, que não permite ao BCP o nível de atendimento/valor para o cliente anterior à fusão ?
No essencial, e em meu entender, o BCP está mais interessado com a rentabilidade dos capitais, que com a "proposta de valor" para o cliente, seja isto o que fôr para o universo dos clientes (particulares e/ou empresas)

CCz disse...

"No essencial, e em meu entender, o BCP está mais interessado com a rentabilidade dos capitais, que com a "proposta de valor" para o cliente, seja isto o que fôr para o universo dos clientes (particulares e/ou empresas)"

Se calhar é isso, mas fazer essa opção, é já fazer uma escolha sobre que clientes interessam ao banco, mesmo que inconscientemente.