quarta-feira, julho 24, 2013

Obrigado Álvaro!

Só para me situarem, para mim, sempre considerei Vítor Gaspar como um socialista.
.
Assim, dou o meu agradecimento a Álvaro Santos Pereira pela sua passagem pelo ministério da Economia.
.
Um 'alien' vindo do Canadá foi sempre uma chatice para os rentistas deste país, aguentou mais tempo do que eu pensava.
.
O ideal para mim era nem haver ministério da Economia mas havendo, que cause os menores estragos possíveis. E, com Álvaro Santos Pereira os estragos foram minimizados.
.
Acrescento assim o nome de Álvaro Santos Pereira à curta lista de ministros aos quais tirei o meu chapéu, o outro é Jaime Silva.
.
Este artigo do DE de hoje "O guião de Pires de Lima para a Economia" ilustra bem como, mais uma vez, os putos chegaram ao porta-moedas da mãe e preparam-se para gastar o que encontraram e comprar a fiado:
.
1 - Reduzir cortes salariais na Função Pública - mais défice
2 - Salário mínimo de 500 euros - mais défice e mais desemprego
3 - Baixar IRS - mais défice
4 - Desburocratizar (A ministra Cristas já foi informada?)
5 - Financiar as PME - mais défice
6 - Reduzir IRC - mais défice
7 - Empreendedorismo e capital de risco - mais défice
8 - Investigadores nas empresas pagos pelo Estado - mais défice
9 - Diplomacia Económica - Recordar sempre o grito "Espanha! Espanha! Espanha!"
10 - Turismo prioritário - os projectos com dinheiro do BES agradecem
11 - Menos custos de contexto - com mais défice, como vão querer baixar custos de contexto?

Claro que sou adepto das medidas 3 e 6 mas sei que têm de ser realizadas ao mesmo tempo que se corta na despesa forte e feio.

15 comentários:

Nuno José disse...

Bem a aprtir de hoje percebi que quem escreve este blog sofre dois mesmo males que todos os outros. Aprendeu umas teorias e acha que só essas teorias são válidas. Desculpe achar que 5001 euros de SM é um exagero diz tudo como a cegueira leva onde leva.... São estas pequenas imposições do Estado que chocam os liberalistas?????? Incrível. Para eles nem devia haver Estado que só está cá a atrapalhar. É? Por favor que tal raciocionar um bocadinho e perceber que quem escreveu essas teorias já passou muito tempo. Keynes, Admas todos tinham razão e nenhum tinha. Deixem-se de tretas e ponham o cérebro a funcionar.

Nuno José disse...

E peço desculpa pelos erros...

(PS: não que não haja muita coisa na lista que possa ter-se razão mas qd se chega a estes extremos demonstra que não se está a pensar)

Bruno Fonseca disse...

não posso discordar mais, seja em relação ao ministério da economia, seja em relação ao Alvaro.

em relação ao ministério, existe um papel importante que deve é feito por ele, a vários niveis, seja de apoios a investimentos, seja acompanhamento de exportadoras, seja ao nível de apoio ao I&D, entre muitos outros. existe ainda um grande papel ao nível de desbloqueio em outros países, que deve ser feito em conluio com os negócios estrangeiros, que aliás estava a ser muito bem feito.

em relação ao álvaro, pedia que me indicasse 1, apenas 1, investimento estruturante que ele tivesse conseguido captar para cá. o Pinho, apesar de tudo, trouxe o Ikea, trouxe a Aquanova, trouxe a Embraer, a ENEOP. o que fica deste? houve algum desenvolvimento? algum investimento? o único ponto positivo, a meu ver, foi a aposta efectuada junto das empresas de exploração mineira, ou não fosse ele oriundo do Canadá.

bem haja!

Ricciardi disse...

Ccz, o simples facto de estarmos vivos cria défice.
.

Mário Amorim Lopes disse...

O Manuel Pinho trouxe para cá o IKEA? Deve ser para rir, essa.

Nuno José disse...

Sim realmente discordando ou não o Pinho tinha uma estratégia definida, ou então o Alvaro nunca a soube a comunicar pois desconheço na totalidade qq trabalho por ele feito tirando a ideia dos pastéis de nata.

A sério gostaria der saber o que fez poderia mudar de opinião.

Bruno Fonseca disse...

sem querer ferir susceptibilidades, o próprio Manuel Pinho refere que foi ele o primeiro a escrever uma carta a administração da IKEA para criar fábricas por cá.

se é verdade ou não, não sei, mas ninguém veio referir essas afirmações como falsas. e a fase decisiva parece mesmo ter sido com ele

David Seraos disse...

"os putos chegaram ao porta-moedas", adorei.

Álvaro Santos Pereira esteve bem na sua passagem como ministro, ninguem acredita que ele durassem tanto tempo por isso é que teve de sair desta maneira, agora é que vai ser investimentos e a economia a crescer, ninguém nos pára.

Quanto a alguns que comentaram, expliquem-me como é que se cria economia por decreto lei? Passa a ser obrigatório haver crescimento é? Isso era o que eles queriam que acontecesse que assim já tinham feito isso. E caro Nuno José, concordo o salário está baixo, que tal 1000€, assim o nosso desemprego talvez só dobrasse. Queira ler uns posts neste blog e irá perceber porque o salário é assim, que o CCz explica isso muito bem :)

É que o SMN e todas as leis/burocracias criam desemprego, mas é no privado, que enquanto no publico eles querem é mais disso.

Nuno José disse...

Com mais tempo a ver se consigo explicar a minha ideia.

Primeiro ponto quem faz a economia de um país não é o Estado e se o é, algo está mal como esteve mal estes anos todos. Assim como esteve mal vivermos da construção de casas.

Se pergunto o que fez o Ministro gostava mesmo de saber porque não sei mesmo. Não estava a ser irónico. Se foi Ministro para alguma coisa o foi. Sem dúvida que deverão concordar um ministro da economia tem o dever de aplicar estratégias globais que se adeqúem ao país. Ora cá está uma boa função do Estado aplicar/definir estratégias. Hmm afinal já serve para alguma coisa.

A minha mensagem foi no sentido desta moda que muita gente tem de que aprendeu na escola que a economia só funciona livre. MENTIRA. Funcionou regulada e bem regulada durante 50 anos e desde os anos 80 a constante desregulação financeira (pq outra regulações e muito bem vieram) têm dado no que têm dado.

Voltando à lista, achar em Portugal que 500 euros é um limite exagerado é no mínimo surreal. Achar que uma empresa que só sobrevive pagando 500 euros por mês, acham que merece estar no mercado? Mas afinal que valor acrescentado tem esta empresa? NENHUM. Nem sei porque foi atirado para o ar 1000 euros. 500 meus senhores, 500 euros mal dá para pagar uma casa. Achar que o estado não deve aplicar este limite baixíssimo das duas uma, ou não consegue sair daquele porcaria que lhe ensinaram que provavelmente noutras sociedades funcionam mas em Portugal não, ou é ganancioso. Sim ganância. Ganância. Volto a dizer. Ganância. Ganância porque não querem a oportunidade de também eles um dia ou já poderem ter alguém a trabalhar para eles por tuta e meia.

Meus senhores, o Estado não deve fazer muita coisa mas muita coisa não deve deixa de fazer ou é só para o que interessa? Já devíamos ter aprendido que Comunismo não serve mas liberalismo também não. Onde fica o meio? Deixemos-nos de esquerdas e direitas basta estudar o passado e fazer o que é justo.

David Seraos disse...

Desregulamentação dos anos 80? Mas nos anos seguintes até agora tem havido regulamentação e mais regulamentação. Sobre isto veja países com pouca regulamentação vs países com muita regulamentação

A economia não deve ser livre? Então vamos lá criar leis, mas depois cada governo quer criar mais uma e cada um acha que deve mandar mais na economia. Isto é o senhor comprar uma casa e 2anos depois o governo dizer que não tem direito à casa porque não pagou o imposto.
Sabia que os impostos inicialmente era só sobre a classe rica, mas depois os burocratas queriam cada vez mais e viam um caminho fácil e assim foram existindo impostos sobre clásse média e classe baixa.

Ganancia é o que faz funcionar a economia, nenhum empregador contrata uma pessoa só pelos seus lindos olhos, contrata porque irá ter um ganho agregado. O empregador não tem como objectivo contratar uma pessoa só para haver menos um desempregado, o objectivo do empregador é "ganhar" uma pessoa que cria mais valor ao seu produto. Ao empregador interessa-lhe o seu negócio, isto é ganancia, e onde é que está o mal disto.

"Achar que uma empresa que só sobrevive pagando 500 euros por mês, acham que merece estar no mercado? Mas afinal que valor acrescentado tem esta empresa? NENHUM", sabe esse é o problema dos politicos acham que sabem mais que o empresário, se a empresa dá lucro e paga os salários aos seus funcionários, claro que acrescenta valor. Quer menos desempregados, mas já queria fechar esta empresa que lhes paga o SMN?

"basta estudar o passado", basta mesmo estudar o passado de forma séria, e quando estudar o passado verifique quando existiu maior crescimento ou maior riqueza.

"e fazer o que é justo", o quê que é justo mesmo? a justiça de um pode não ser a justiça do outro.

David Seraos disse...

"Se pergunto o que fez o Ministro gostava mesmo de saber porque não sei mesmo. Não estava a ser irónico. Se foi Ministro para alguma coisa o foi. Sem dúvida que deverão concordar um ministro da economia tem o dever de aplicar estratégias globais que se adeqúem ao país. Ora cá está uma boa função do Estado aplicar/definir estratégias. Hmm afinal já serve para alguma coisa."

Tem de aplica estratégias globais que se adequam ao país. E que tal uma ideia maluca que seria deixar os empresários decidirem. Por como é que um ministro da economia sabe quais as estratégias que se devem aplicar, isto queria dizer que ele teria a informaçao total de cada ideia de cada empresário só pode ser assim. Mas se tal acontecesse ele não seria ministro, seria empresário.

"A minha mensagem foi no sentido desta moda que muita gente tem de que aprendeu na escola que a economia só funciona livre", tem de me dizer onde é que se aprendeu assim, que vou para lá. Pois o que se ensina neste país é tudo menos que a economia funciona livre, o que se ensina é que ela só funciona bem regulamentada, com o governo a dizer o que se deve fazer

Antonio Cristovao disse...

Ccz gabo a coragem de defender este post com tanto membro da Brigada das Colheres(tacho publico) aqui á volta. Eles(governantes) não vão para lá subindo e escada; é alimentando o tacho!! se alguem ameaça abana-lo é o que vê! Coragem e continue, eu concordo.

Nuno José disse...

Desregulamentação financeira estava lá escrito é só reler. A regulação que tem havido muito bem é noutras áreas ou vamos começar a poluir tudo outra vez entre outras coisas?

"Ganancia é o que faz funcionar a economia"

Pronto dito isto já está visto que tipo de cabeça vai por aí. Se me dissesse ambição. Fica já a conversa por aqui, pior, achar que temos um tecido empresarial que se pode regular a si próprio é de rir, vive em que país?

Adeus.

David Seraos disse...

Sim eu li bem, e volto a responder. A desregulamentação que existiu, foi regulada nos anos seguinte e sim regulamentação financeira.

Eu entendo que não goste do termo, coloque outro mais soft.
Se preferir colocar ambição, força.

O senhor já que sabe mais que todos os empresários em Portugal, dê-me aí um negócio milionário. Que foi o que disse, que sabia mais que todos os empresários. Fico aguarda por esse negócio fenomenal.

E ainda estou à espera que me indique essas escolas em Portugal onde se ensina que a economia funciona bem livre. Que eu e todas as pessoas que conheço andaram na escola onde ensinaram o contrário.

P.S.: "vive em que país?". Vivo num país onde todas as empresas já estiveram no dominio do Estado, que existe greves dos transportes todas as semanas, que já esteve de ser resgatado 3vezes e que mais regulamentação é sempre bom.

lookingforjohn disse...

"Não soube ser politicamente hábil."
Ainda bem que já temos gente politicamente hábil no lugar dele, pra retomar o bom trabalho que vinha sendo desenvolvido por gente politicamente hábil.