segunda-feira, junho 23, 2008

Os campeões escondidos

No último mês tenho reflectido e escrito e sobre os campeões escondidos, basta consultar a série Relações.
.
Assim, foi com um conforto especial que li este artigo de Francesco Alberoni "Quem produz riqueza" no Diário Económico de hoje.
.
"Há todo um mundo de artesãos, de técnicos, de pequenos empresários optimistas, geniais e activos, que não ficam à espera de subsídios do Estado e que utilizam tecnologias inovadoras e trabalham incansavelmente.
.
Estudam, fazem experiências, testam e voltam a testar até ao infinito."
...
"Agora, é a vez daqueles que, inventando novos produtos, novos materiais e novos serviços, conseguem conquistar nichos de mercado em sectores de alta tecnologia, derrotar europeus e americanos nos bens de consumo de luxo e até enfrentar chineses e indianos com uma elevadíssima qualidade e uma invenção contínua.
.
Nunca os verão na televisão, pois o pequeno ecrã está diariamente ocupado por políticos, por apresentadores, por personagens das páginas policiais, por cómicos e por imitadores. Também não se fala neles nos jornais porque estes só se ocupam da alta finança. A Universidade ignora-os. .
São os anónimos: os investigadores ocultos que descobrem as coisas que são úteis e necessárias, os produtores obscuros que as fabricam e vendem. E que, sem que ninguém se aperceba disso, fazem funcionar e progredir o país."
.
Gotcha!!!

3 comentários:

Voluntária Angolana disse...

Um grande VIVA para eles,esses campeões obscuros! Valem mais que todas as outras medalhas. Para eles, o ditado que eu mesma inventei: "Deus os acrescente e a mim não me falte!"
Mas até é melhor não os divulgar, porque, assim, há-de sempre haver novos inventores, criadores. Se identificarmos os que existem, sabem o que acontece? Vão logo montar três negócios iguais na mesma rua, seguindo a velha teoria do Ovo de Colombo. Respeitemos a sua discrição, engenheiro. Um abraço. VA

CCz disse...

Não era bem essa a ideia...

aranha disse...

Era mais... "incentivemo-los" hehe