sábado, setembro 21, 2013

Gente anónima mal vista pela côrte

"“Vamos exportar cerca de 36, 37% do nosso negócio, que é o maior valor de sempre. Esperamos aumentar as exportações em cerca de 12, 13% em relação ao ano passado”, disse Manuel Pinheiro, ressalvando que ainda faltam três meses para o fim do ano, mas que não devem modificar os resultados obtidos desde Janeiro.
 .
O crescimento deste ano tem sido feito à custa de três mercados principais, referiu o presidente da CVRVV, com os Estados Unidos à cabeça, seguidos de Alemanha e França, compensando as perdas em termos internos, onde o mercado está “estagnado”."
Trecho retirado de "Manuel Pinheiro: 2013 vai ser ano recorde de exportações de vinho verde"

5 comentários:

Bruno Fonseca disse...

boas!

não percebo a expressão "mal vista pela corte".

porque é que diz isso?

poucos sectores receberam tanto dinheiro do estado como o vinho. foram feitos investimentos substanciais na divulgação, em novos equipamentos, em renovação de vinhas, entre outros.
o discurso hoje está bastante virado para a agricultura, o instituto de vinho verde recebe valores bastante jeitosos do orçamento e de "Lisboa" para fazerem um bom trabalho, como efectivamente o estão a fazer, apesar de haverem ainda algumas falhas ao nível turístico, parece-me.

abraço!

CCz disse...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/economia/producao-de-vinho-na-regiao-sobe-10

CCz disse...

"mal vista pela corte"

porque a agricultura é considerada sub-sector. não é suficientemente sexy como uma qimonda

Patricia Santos disse...

parece-me desajustado.
não me lembro de se falar tanto de agricultura como agora.

mais um exemplo

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/agricultura/detalhe/paulo_portas_critica_quem_pensa_que_agricultura_e_coisa_do_passado.html

Patricia Santos disse...

mais um excelente exemplo

http://www.oje.pt/noticias/negocios/maior-unidade-de-secagem-de-milho-do-baixo-alentejo-com-51-milhoes-de-investimento

além disso, no Alentejo, que me parece ter um papel importante a desempenhar no futuro do país (Sines + Alqueva + Embraer)